quarta-feira, 26 de novembro de 2014

SEJAM MAL-VINDOS A #Google!

Tenho saudades da tecnologia antiga, que podíamos usar e abusar dos recursos tecnológicos sem a imposição de muitas regras - exceto a tradicional "NETIQUETA"
- e que não havia tanta "vigilância" sobre o que escrevíamos. Há quase duas semanas estou sem acesso aos meus e-mails, especialmente ao meu oficial emannoel@ovi.com, por imposição de regras da poderosíssima #Google, ligada a @Microsoft, que comprou a @Nokia e uma das primeiras coisas que fez foi desativar, paulatinamente, todos os e-mails da ovi.com (@Nokia). Como usuário por algum tempo da redes, acho isso uma atitude arbitrária e insana de uma empresa que se acha dona do mundo e das pessoas, e que não tem o mínimo de respeito por seus usuários. Eu tenho respeito pelo meus, e fiz essa denúncia não esperando deles, dos poderosos e insensíveis, algumas solução. Já os conheço do meu outro e-mail desativado leonamessias@hotmail.com, para mim, cada e-mail que crio, são como uma extensão do meu ser e reconheço-os a todos. Não sou um "fake", #Google"! Faço isso em respeito as pessoas que me seguem nesse site http://leonmessias.blogspot.com para esclarecê-los sobre os reias motivos de minha ausência forçada em publicar textos com a mesma frequência anterior. Desculpem-me,leitores e curiosos, mas estou sem acesso algum, via celular, aos meus 5 E-MAILS GRAÇAS AO PÉSSIMO SERVIÇO PRESTADO PELA #Google e pela poderosa @Microsoft.com, compradora da Nokia. A primeira medida tomada por eles foi sucatear a Nokia, para se livrarem da concorrência eficiente, cidadã e acima de tudo MAIS HUMANA. Campina Grande, 26 de novembro de 2014. Emanoel M de Arruda emannoel@ovi.com leonmessias@gmail.com emanoel_teacher@yahoo.com emarruda1@gmail.com gennilda@bol.com.br +558396808173 +558388058823

terça-feira, 18 de novembro de 2014

A DIFÍCIL ARTE DE SER AMIGO

INFELIZMENTE as relações pessoais hoje são feitas a base de troca: se temos algo a oferecer, mesmo que seja apenas material, a possibilidade de conseguir amizades se ampliam. Acho isso razoável. O que me incomoda é que a maioria das pessoas agem como sanguessugas: apenas exigem do outro e se aproveitam de uma situação inicial, como o início de um relacionamento, apenas para usurparem algumas vantagens, mas quando chega a sua parte de retribuição, fogem. Vivemos numa sociedade de relacionamentos fúteis, volúveis como o vento. Falta aquela amizade verdadeira de outrora, sincera e franca e muitas vezes sem nenhum interesse. A brevidade de nosso tempo, as exigências para que tenhamos sucesso nos tornam muitas vezes pessoas insensíveis, que não escutamos os apelos dos outros excessivamente preocupados conosco mesmos. Sinto todos os dias isso na pele. Pensei equivocadamente que a Universidade fosse uma "irmandade", mas o que vejo todos os dias são pessoas se "engalfiando", ferindo e sendo feridas, em relacionamentos friamente egoístas. Seria essa a educação fornecida por nosso ensino fundamental e médio, seria essa a sociedade do futuro? Indubitavelmente precisamos rever os nossos conceitos, os nossos valores, para que tenhamos, de fato, uma sociedade melhor e realmente justa, até mesmo nas escolas e universidades.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

O romantismo ainda está em voga?

No corre-corre do nosso tempo, que dizem ser moderno, cada vez mais o cavalheirismo está em baixa, a falta de gentilezas é quase uma unanimidade burra e as grosserias muito comuns, especialmente com as mulheres. Ser gentil hoje passou, erroneamente, a ter o mesmo sentido que "efeminamento", viadagem no popular, equivocadamente. Vivemos tempos difíceis de fato. Quer ver até onde chega a nossa educação? Pegue o coletivo ao meio-dia na UEPB, na hora do "rush", quando terminam as aulas. Qualquer dia desses gente vai ser atropelada por gente! De fato, voltando ao tema, o romantismo em nossa sociedade está em baixa e essa baixa é tanto maior quanto a crise econômica, parece que tem tudo a ver uma coisa com a outra: quanto maior a "pindaíba", mas as grosserias se afloram e se multiplicam. Estamos prevendo para 2015 uma acentuada mudança para pior,quando até o abastecimento de água em nossa cidade será escasso: se a nossa educação agora já vai mal, imaginem quando as pessoas tomarem banho com menor frequência?! De fato, essa cena de Dirty Darcing me dar saudades dos antigos cinemas, dos encontros às escondidas, das "balinhas de anis". Vão dizer que sou quadrado, mas muitos de nossos jovens de hoje já conheceram o mundo sem esse romantismo de outrora que tanta falta os faz e a nós também, da velha guarda. É por isso que, provavelmente, quase tudo perdeu a graça: sem o romantismo a vida se tornou bem mais dura do que antes e algumas vezes só mesmo assistindo filmes como este para podermos ser felizes novamente: revivendo o PASSADO. Emanoel Messias de Arruda emannoel@ovi.com